segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Fala Sônia...humor...

rsrsrsr

terça-feira, 23 de setembro de 2008

OUTONO EM PORTUGAL E PRIMAVERA NO BRASIL

OUTONO EM PORTUGAL


O outono já chegou - aos arrufos do vento
as folhas num desmaio embalam-se pelo ar...
- vão caindo... caindo... uma a uma, em desalento
e uma a uma, lentamente, vão no chão pousar...

O céu perdeu o azul - vestiu-se de cinzento
e envolveu na neblina a luz baça do luar...
- na alameda onde vou, de momento
a momento, há um gemido de folha a cair e a expirar...

O arvoredo transpira as carícias dos ninhos,
e o vento a cirandar na curva das estradas
eleva o folhareu no espaço em redemoinhos...

Há um córrego a levar as folhas secas em bando...
- e à aragem que soluça entre as ramas curvadas,
parece que o arvoredo em coro está chorando!...

J.G. de Araújo Jorge




PRIMAVERA NO BRASIL

Primavera

(Cecília Meireles)


A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.

Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.

Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.

Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.

Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera.


Texto extraído do livro "Cecília Meireles - Obra em Prosa - Volume 1", Editora Nova Fronteira - Rio de Janeiro, 1998, pág. 366.



domingo, 21 de setembro de 2008

Pensamento


Entre o Passado, onde estão nossas recordações,e o Futuro onde estão as nossas esperanças,
Fica o Presente, onde está o nosso dever".
Sueli Pigucci

sexta-feira, 19 de setembro de 2008


Está no ar uma Nova Manhã.

Isto é tudo e vale muito...

O que fizer neste dia vai valer para a sua história.

Por isso, que tal marcar no calendário que está afixado em alguma parede,ou mesmo na sua agenda, que este dia vai valer?


Que tal tentar transformar este dia que parece comumnum grande dia da sua história?Está no ar uma Nova Manhã. Esta é a hora ideal para fazer planos e alcançar sonhos.


Este é o momento de fazer um pacto consigo mesmo, restabelecer a fé no seu talento e dar vazão ao seu potencial realizador.

Está no ar uma Nova Manhã.

Não dá para adivinhar o que você tem para enfrentar neste diaque só está começando, mas vá com jeito.

Já dizia Ovídio:

"Torna-se leve a carga que se sabe levar bem".

Se você não consegue mudar todas as coisas que você gostaria,mude você em relação a elas.
E aproveite bem o seu dia...


Marcinha*

quarta-feira, 17 de setembro de 2008



quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Marta Peres




Sonho com Portugal

Portugal, terra de amores,

sonho por ti!

Açores, quisera ver-te

novamente nesta vida,

sentir o cheiro da terra,

beber tuas belezas.


Sonho entrar em minha ilha,

olhos apaixonados brilham,

tentam saltar foraquando se lembram...

Madeira!

No Porto, lágrimas rolaram,

poesia saiu do papel,

Pessoa

brindava declamando,

ao longe ouvia-se o fado!

Belo jardim plantado

à beira mar, perfume no ar

mescla meu coração saudoso,

choroso de ti.



Procuro a casa dos fados,

pergunto,

não sabem responder,numa viela paro,

ouço,

subo para o bairro alto,

na esquina encontro um bar,

cheiros se misturam, vozes

cantam,

dos olhos do povoa palavra se pronuncia,

Lisboa, cidade dos amores!



Marta Peres

Explosões de cores...



entre caravelas brancas
portos côr de rubi
hóstias camuflando
doces tentações
entorpecem-me
os passos
por entre os canais suaves
que tanto me abrandam
no êxtase
das explosões de cores naifs
sinto-me mimada
nestes privilégios
partilhados


(minha pele)

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Homem Sonhando..... rsrsrrsrs

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Lindinha Demais !!!! Confiram!!!

terça-feira, 2 de setembro de 2008

rsrsrsrsr.....Primeira mulher a pisar na Lua !!!

Isto é amor antigo...



O Amor A Portugal
(Dulce Pontes)

O dia há de nascer
Rasgar a escuridao
Fazer o sonho amanhecer
Ao som da canção
E então:
O amor há de vencer
A alma libertar
Mil fogos ardem sem se ver
Na luz do nosso olhar
Na luz do nosso olhar
Um dia há de se ouvir
O cântico final
Porque afinal falta cumprir
O amor a Portugal
O amor a Portugal!

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Passando para desejar uma Boa Semana para todos vocês....


Na estrada de minha casa há um pasto.
Dois cavalos vivem lá.
De longe, parecem cavalos como os outros cavalos, mas, quando se olha bem, percebe-se que um deles é cego.
Contudo, o dono não se desfez dele e arrumou-lhe um amigo - um cavalo mais jovem.
Isso já é de se admirar.
Se você ficar observando, ouvirá um sino.
Procurando de onde vem o som, você verá que há um pequeno sino no pescoço do cavalo menor. Assim, o cavalo cego sabe onde está seu companheiro e vai até ele.Ambos passam os dias comendo e no final do dia o cavalo cego segue o companheiro até o estábulo.
E você percebe que o cavalo com o sino está sempre olhando se o outro o acompanha e, às vezes, pára para que o outro possa alcançá-lo.
E o cavalo cego guia-se pelo som do sino, confiante que o outro o está levando para o caminho certo.Como o dono desses dois cavalos, Deus não se desfaz de nós só porque não somos perfeitos, ou porque temos problemas ou desafios.
Ele cuida de nós e faz com que outras pessoas venham em nosso auxílio quando precisamos.
Algumas vezes somos o cavalo cego guiado pelo som do sino daqueles que Deus coloca em nossas vidas.
Outras vezes, somos o cavalo que guia, ajudando outros a encontrar seu caminho.
E assim são os bons amigos. Você não precisa vê-los, mas eles estão lá.
Ouça o meu sino.
Eu também ouvirei o seu...
(Autor Ignorado)