sábado, 29 de novembro de 2008

Khalil Gibran


Quando o amor acenar,

siga-o ainda que por caminhos

ásperos e íngremes.

Debulha-o até deixá-lo nu.

Transforma-o,

livrando-o de sua palha.

Tritura-o,até torná-lo branco.

Amassa-o,até deixá-lo macio;

e,então,submete ao fogo

para que se transforma em pão

para alimentar o corpo e o coração!

1 comentário:

MILU DUARTE disse...

Oi, Cristina, vim retribuir sua visita e fiquei admirada com a quantidade de blogs que você tem!!!Todos excelentes. Gostei de ver mesmo. Meus parabéns. Parece que temos vários interesses em comum. Um grande abraço
Mil